Portal Futebol Clube

Atibaia

É JUSTO? | 01/11/2015 às 20:26:22

Atibaia é sacado da Série A2 por falta de estádio

Perto de completar 10 anos, com salários em dia e estrutura de Série A1, Falcão é penalizado pela competência e deixará de disputar competição que conquistou dentro de campo

Leonardo Silvério não esconde frustração pela situação vivida pelo Atibaia (foto: Fabio Giannelli / Soccer Digital)

Um gol aos 47’ do segundo tempo, marcado pelo atacante André Tavares, definiu o quarto colocado e último clube a conquistar o acesso à Série A2 do Campeonato Paulista de 2016. Naquele dia, o Sport Club Atibaia venceu o Barretos por 1x0 e carimbou seu segundo acesso seguido em apenas seis meses. Saiu da quarta divisão em dezembro e chegou à Série A2 em maio do ano seguinte.
 
Festa na cidade? Nem tanto. Agora, com a falta de estrutura do estádio municipal Salvador Russani, que tem capacidade para apenas 3 mil lugares, o time foi sacado do conselho arbitral da Série A2 e a carta foi enviada ao Barretos, como confirmou o diretor no site oficial do clube.
 
“É a sensação mais frustrante que o futebol pode proporcionar. Vencemos o Barretos em um jogo dramático, jogando sem estádio, em Indaituba, com gol aos 47 do segundo tempo. Agora, sabe quem foi chamado para o conselho técnico da A2? O time que perdeu naquele jogo”, falou Leonardo Silvério, que com apenas 29 anos comandou os dois acessos como vice-presidente do clube.
 
“Pagamos os salários rigorosamente em dia, temos um CT completo com hotel para os jogadores, damos premiação extra. Trabalhamos com mentalidade de clube grande e assim conquistamos dois acessos em seis meses. Agora, pelo fato da cidade não ter a estrutura exigida pela Federação, não nos dão tempo para adaptação. Se não temos estádio, por que não fazer como o Red Bull, que treina em Jarinu e joga em Campinas?”, questiona.
 
O modelo de gestão do Sport Club Atibaia chamou a atenção do futebol paulista após conquista de dois acessos seguidos e um forte trabalho de marketing. O clube ainda aguarda uma reviravolta, pois acredita que o plano de modernização da FPF tenha como compromisso principal que as competições sejam decididas apenas pelo critério técnico.
 
“Nos sentimos penalizados por termos sido melhores e não posso acreditar que depois daquele jogo o time perdedor ficará com uma vaga que é nossa”, finaliza Silvério.
 
Linha do tempo:
 
Dezembro/2014: Atibaia disputa a final da quarta divisão contra o Nacional e fica com o vice-campeonato. O acesso à Série A3 é inédito para a cidade, que nunca teve um time de futebol profissional na terceira divisão.
 
Março/2015: No meio da disputa da Série A3, onde brigava pelas primeiras colocações, uma norma faz com que o Atibaia perca o mando de seu estádio e passe a jogar em Bragança Paulista, Indaiatuba e Guarulhos.
 
Maio/2015: Pela última rodada da segunda fase da Série A3, o Atibaia vence o Barretos por 1x0 com gol aos 47’ do segundo tempo e fica com a quarta e última vaga para a Série A2 de 2016.
 
Junho/2015: Em reunião com Leonardo Silvério, prefeito de Atibaia, Saulo Pedroso, promete que time jogará a Série A2 e que utilizará canais políticos para viabilizar as necessidades
 
Setembro/2015: Reunido na Federação Paulista de Futebol, prefeito de Atibaia chora e implora que entidade autorize clube a jogar em Bragança Paulista. FPF bate o pé e não cede.
 
Outubro/2015: Leonardo Silvério, vice-presidente do Atibaia, entra com recurso para ficar com a vaga
 
Outubro/2015: Federação convoca Conselho Técnico das competições e chama Barretos para a Série A2 e Atibaia para a Série A3.







« voltar


NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ver todas

publicidade

  • banner

Comissão de juristas apresenta texto para a atualização da Lei Geral do Desporto

Receba nossos boletins online

2016 - Todos os Direitos Reservados