Portal Futebol Clube

Notícias - Internacional

EX-GALO | 17/11/2016 às 01:16:22

Após cinco anos afastado, brasileiro ídolo no Cazaquistão ensaia retorno

Defendendo a Seleção Brasileira, Heder Singulano foi campeão do Mundialito Sub-17, na Itália, em 2000, diante da Argentina de Tevez e Mascherano

Formado nas categorias de base do América-MG, o meio-campista Heder Singulano era figura carimbada nas convocações das Seleções Brasileiras de base entre os anos de 2000 e 2003. Presente em 25 jogos, 23 como titular, não demorou para conquistar seu primeiro título com a camisa canarinho. 

No mundial Sub-17 da Itália em 2000, Heder Singulano teve a responsabilidade de marcar a jovem promessa Argentina Carlitos Tevez e deu conta do recado. Após o empate em 1x1 no tempo normal, o Brasil venceu os Hermanos nas penalidades (5x4) e sagrou-se campeão do torneio. 

"Um título importante contra a Argentina de Tevez e Mascherano. Eu entrei em campo com a função de anular o Carlitos e fui bem-sucedido. Tenho muito orgulho de relembrar daquele momento", declarou.
Ainda muito jovem, mas com destaque na Seleção, Heder esteve no futebol paulista durante três anos, onde defendeu as cores do Comercial, Marília e Barretos. 

Experiência internacional
Mas foi no Cazaquistão que o meio-campista atingiu o auge da carreira. Defendendo as cores do FC Ordabasy, entre os anos de 2008 e 2011, o atleta conquistou importante marcas e a admiração dos torcedores locais. Em 2008, Heder foi escolhido para a seleção do Campeonato Cazaque e eleito o melhor estrangeiro da temporada.

O desempenho positivo rendeu uma transferência para o Lok Stendhal, da Alemanha, em 2009. Como não houve acerto financeiro entre as equipes, o jogador retornou ao Cazaquistão, depois do período de empréstimo. 

Desentendimento extracampo
Insatisfeito com problemas relacionados a seu ex-agente, o jogador resolveu encerrar a carreira de forma precoce em 2011. 

"Recebi uma proposta irrecusável do futebol do Uzbequistão, time na época dirigido pelo Felipão, onde atuava o Rivaldo, mas passei a negociação para meu empresário. Ele agiu de má fé, ofereceu outro jogador, fato que gerou uma grande insatisfação e a transação não foi concluída. Após este episódio eu perdi a motivação e decidi dar uma pausa na minha carreira", afirmou. 

Após cinco anos afastado dos gramados, o jogador de 32 anos, decidiu retornar ao futebol e pretende retomar a carreira profissional em 2017.

"Eu sempre me cuidei. Mesmo fora dos gramados eu nunca deixei de treinar. Durante a minha carreira, eu tive poucas lesões e nunca tive problemas em relação ao peso. Muitos amigos me incentivavam a voltar, mas eu não queria. Hoje a magoa passou, estou mais maduro e com gana de voltar. Tenho uma estrutura fora de campo que nunca tive. Me sinto melhor assessorado e apto para retornar", concluiu. 







« voltar


NOTÍCIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ver todas

publicidade

Comissão de juristas apresenta texto para a atualização da Lei Geral do Desporto

Receba nossos boletins online

2016 - Todos os Direitos Reservados